EnglishPortugueseSpanish

Banda de Pífano de Caruarú

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

IOV  –  ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DE FOLCLORE E ARTES POPULARES

Banda de Pífanos Zé do Estado de Caruarú

Em meados da década de 20, no município de Conchichola, que fica entre a cidade de Sumé e Umbuzeiro, no interior da Paraíba, nasce um cidadão chamado José Feliciano Rodrigues.Seu José Feliciano conhece um outro rapaz chamado de Zé Jota, no qual apresenta pra ele a viola de 10 cordas, a Concertina, o Realejo entre outros instrumentos, e a partir disso desperta em seu José Feliciano o amor pela tradição e a cultura nordestina.

Depois dessa apresentação, seu José Feliciano começa tocando Concertina com uma banda de seus familiares chamada de Terno de Zabumba da Pimenta, em um sítio chamado “Pimenta”, distrito da cidade de São Bento do Una, no interior de Pernambuco, por volta de 1934. Nessa época, a banda era formada por:

Eduardo do Pandeiro (Zabumba).
Dete (Caixa).
Zé Jota (Pife).
José Feliciano (Concertina)

Em Caruaru, José Feliciano, agora mais conhecido como Zé do Estado formou uma banda, dessa vez contando com a participação do seu filho mais velho: Antônio Feliciano Rodrigues (mais conhecido como Tonho).
A formação da banda ficou sendo:

Antonio Feliciano – Tonho (Pandeiro)
Eduardo (Zabumba)
Dete (Caixa)
Zé do Estado (Concertina)

A formação da banda nessa época já não contava mais com a presença de seu Zé Jota do pífano, que havia falecido, e a banda agora tinha a Concertina como instrumento solo.

Só em meados da década de 70, que os filhos de Zé do Estado que estavam com João do Pife integraram a banda do pai, e juntos formaram a “banda Zé do Estado”, ficando com a seguinte formação:

Antônio Feliciano Rodrigues – Tonho (Pandeiro)
Sebastião Feliciano Rodrigues – Bastos (Zabumba)
José Feliciano Rodrigues Filho – Zé Gago (Pratos)
Gerson Feliciano Rodrigues – Capacete (Caixa)
José Feliciano Rodrigues – Zé do Estado (Concertina).

Na década de 80, fizeram a 1º viagem internacional para Portugal, acompanhando seu João do Pife. Logo depois, na mesma época, entra um novo integrante na banda, o sobrinho de Zé do Estado: Antônio Feliciano Rodrigues da Silva.

Nova Formação e novos projetos

Em 2013, aconteceu em caruaru o “IV  Tocando pífanos” que é um encontro nacional de bandas de pífano organizado pelo produtor Amaro Filho da Págian 21,  onde mestre Bastos da zabumba foi o homenageado (quebrando o protocolo, pois só os pifeiros eram homenageados). Nesse encontro estava participando como ouvinte em um projeto da faculdade, o aluno Anderson Silva, que fazia parte do grupo de pesquisa da faculdade, no qual nesse encontro com a banda Zé do Estado é convidado a integrar a banda substituindo o mestre Peba.

Em 2017, a banda é convidada fazer uma participação no show do Grande Encontro no Rock in Rio, fazendo assim uma apresentação histórica por ser a 1º banda de pífanos a subir no palco do Rock in Rio.

Esse show do RiR já foi com a formação atual da banda:

Anderson do Pife (Pífano)
Junior Franceis (caixa)
mestre Tonho (pandeiro)
mestre Bastos (zabumba)
mestre Zé Gago (pratos)

Espaços como Casa do Pife (e todas aquelas casas de cultura popular da estação ferroviária) é um dos lugares mais importantes não só pro turismo, mas pra história da cidade. Esses espaços vivem “acenando” pra ganhar notoriedade na sociedade, e mesmo com tantas atividades e prêmios, muitas vezes me vem a impressão de passarem despercebidas pela grande maioria das pessoas, o que é muito triste.

Precisamos mudar o mundo, e talvez, pros habitantes do País de Caruaru, um dos muitos e possíveis caminhos, seja conhecer as histórias das bandas pífano da cidade, e frequentar mais as atividades de espaços como a Casa do Pife.

 

Deixar um comentário

IOV Brasil

Aos vinte e três dias do mês de fevereiro do ano de dois mil e vinte, às oito horas, na Cidade de Nova Petrópolis no Estado do Rio Grande do Sul, Brasil, ocorreu uma Assembleia Geral, com o objetivo de promover todas as formas de arte popular e cultura folclórica como elementos do Patrimônio Cultural Imaterial (ICH), para promover a compreensão e apreciação da diversidade cultural entre todos os povos e, assim, aumentar as perspectivas para a paz mundial.

Notícias Populares

Siga-nos

Canal YouTube

Assine a nossos planos

Venha ser membro da maior organização cultural do mundo!